Consórcio de imóveis: quando vale a pena?

Decidir adquirir um imóvel junto à imobiliária é um grande passo na vida de muitas pessoas. Justamente por isso, é importante ter um bom planejamento e tomar alguns cuidados, a fim de garantir opções seguras e que sejam interessantes para os compradores. Nesse sentido, o consórcio imobiliário é uma alternativa para quem não tem ou não quer mobilizar todo o capital em uma única negociação. Por meio dele, o valor total do imóvel é parcelado e, ao contrário do financiamento, não exige um crédito inicial para dar entrada.

 

No entanto, é importante conhecer um pouco mais sobre suas vantagens, pois ainda que seja conhecido, muitas pessoas ainda têm dúvidas. Então, pensando em te ajudar, preparamos o post de hoje para explicar sobre o consórcio imobiliário e falar quando vale a pena. Vai fazer um consórcio imobiliário, não deixe de avaliar a documentação e cláusulas, um advogado online poderá lhe auxiliar nestas questões relacionadas a dúvidas em geral, além de poder revisão contratual a fim de lhe dar mais tranquilidade.

 

Como funciona o consórcio de imóveis?

 

Em resumo, o consórcio imobiliário nada mais é do que a junção de pessoas físicas ou jurídicas que têm como objetivo criar uma poupança (administrada por terceiros) e, assim, realizar seu próprio financiamento. Ou seja, todos os meses o consorciado contribui com o valor da parcela acordada, que será incluída em um fundo comum a todos os participantes para financiar os imóveis.

 

A partir disso, são realizados sorteios e o ganhador recebe uma carta de crédito, que é um documento financeiro responsável por possibilitar a compra do imóvel desejado.

 

Quais as vantagens do consórcio imobiliário?

 

Agora que já entendeu como funciona o consórcio, é hora de saber melhor sobre as vantagens dessa modalidade disponível no mercado imobiliário. Confira abaixo:

 

Juros

 

O principal diferencial do consórcio está relacionado aos juros. Enquanto no financiamento a cobrança é feita ao longo dos meses, de acordo com o tipo de crédito e instituição, no consórcio não existe essa taxa. Isso porque, as cartas são custeadas pelo próprio cliente em vez de o banco emprestar a quantia. No entanto, devemos lembrar que é necessário pagar um valor à administradora do consórcio, mas ainda assim, é mais baixo quando comparado com os juros do financiamento.

 

Entrada

 

Para conseguir contratar o crédito no financiamento, é necessário desembolsar uma entrada que varia entre 30% a 50% do valor do imóvel. Por outro lado, essa entrada não é exigida no consórcio. Isso porque, ele irá quitar as mensalidades de acordo com o plano contratado, existindo diversas opções disponíveis, com parcelas, prazos e cartas de crédito variadas. Justamente por isso, é importante compreender junto à administradora quais são os produtos existentes.

 

Liberdade para usar o crédito

 

Com a carta de crédito em mãos, você poderá escolher o imóvel que mais se encaixa em suas necessidades e preferências, podendo até mesmo optar por uma alternativa comercial. No financiamento isso não é possível, pois seria necessário vender o imóvel, quitar as parcelas e comprar outro. No consórcio, você tem maior flexibilidade de escolha, com menos burocracia.

 

Contemplação acelerada

 

Devemos lembrar ainda que o consórcio pode funcionar de duas formas: aguardar ser sorteado e contemplado com a carta de crédito ou oferecer um lance e antecipar a contemplação. Aqui, o maior lance será o escolhido e quando o valor oferecido não é o vencedor, não há necessidade de realizar o pagamento. Se quiser, basta realizar o lance novamente no próximo mês ou aumentar, caso ache necessário.

 

Variedade de planos e prazos

 

Como falamos, existe uma grande variedade de planos e prazos disponíveis no consórcio, de acordo com seu perfil. Dessa forma, você consegue investir e economizar todos os meses, pois terá um compromisso firmado com a empresa. Muitas pessoas não têm essa disciplina, mas com o consórcio podem escolher os planos e prazos que atendem suas necessidades e preferências, possibilitando organização e liberdade de escolha. Afinal, quem determina o prazo é você, mas é importante elaborar um planejamento financeiro para projetar as finanças para os próximos anos.

 

Poder de compra

 

Por fim, em um investimento é importante ficar atento à inflação, pois em alguns tipos, os juros são tão baixos que, com o tempo, você começa a perder dinheiro. Por outro lado, no consórcio há manutenção do poder de compra, pois de tempos em tempos, é feito um reajuste no valor da carta de crédito baseado na realidade atual do país. Portanto, ao ser contemplado em um período maior que o esperado, será capaz de manter o poder de compra.

 

Quando o consórcio imobiliário vale a pena?

 

Bom, se você chegou até aqui, provavelmente entendeu que o consórcio é uma boa opção para quem quer adquirir um imóvel. No entanto, ele é mais recomendado para quem não tem grande urgência em se mudar para uma nova casa. Afinal, é necessário aguardar o sorteio e ser contemplado, podendo ser o primeiro, mas também o último. Sendo assim, para quem deseja algo voltado para o longo prazo, o consórcio imobiliário realmente vale a pena. Afinal, pode começar a pagar a própria casa ou apartamento aos poucos e sem juros.

+ posts

Deixe seu comentário

4 + 2 =

%d blogueiros gostam disto: